Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/11765
Tipo do documento: Tese
Título: Ética e liberdade em Michel Foucault: uma leitura de Kant
Título(s) alternativo(s): Ethics and liberty in Foucault: one lecture of Kant
Autor: Kraemer, Celso 
Primeiro orientador: Muchail, Salma Tannus
Resumo: A tese complementar ao doutorado de Foucault, sobre a Antropologia de Immanuel Kant, abre algumas perspectivas teóricas e metodológicas sobre seu trabalho. Dentre estas, a presente pesquisa investiga as possibilidades da ética e da noção de liberdade em Foucault. O fio condutor que perpassa todos os capítulos é a leitura de Kant que aparece em diversos textos menores , sendo o primeiro justamente a tese complementar, no início do percurso intelectual de Foucault, e o último, sobre a Aufklärung kantiana, no final deste percurso. O tratamento dos dados segue o procedimento de Foucault na tese complementar: confrontar textos menores com textos mais canônicos do autor. Na tese complementar Foucault relacionou a Antropologia com as Críticas de Kant. No presente trabalho, estabelecem-se paralelos entre os textos menores , em que Foucault aborda Kant, com os livros, com destaque para História da loucura e As Palavras e as coisas. O resultado mostra que há certo kantismo em Foucault, podendo-se apontá-lo na arqueologia e na genealogia. Nelas a Crítica kantiana parece obter novo vigor. Ela não deixa de sofrer certa atualização com Foucault. Assim, a Crítica arqueológica e genealógica busca as condições de possibilidade do surgimento, da duração e do desaparecimento de diferentes estratégias discursivas e não-discursivas das práticas do saber-poder, no que ele chama de empiricidades históricas. Na outra extremidade, o domínio das empiricidades encontra-se marcado pela Abertura; nela, a Verdade mostra sua recíproca dependência com a Liberdade. Estes três domínios (Crítica, empiricidade e Abertura) constituem o espaço próprio também para a questão da ética e da liberdade, na imanência das relações de saber-poder. No jogo sujeição e autonomia se constitui a estética da existência, enquanto arte de si; em função disso ela requer o cuidado de si, o conhece-te a ti mesmo e as práticas de si
Abstract: The complementary thesis to the doctorate of Foucault about the Anthropology of Immanuel Kant opens some theoretical and methodological perspectives in his work. Among them the present research investigates the possibility of Ethics and the notion of Liberty in Foucault. The guide line that goes throughout the chapters is the lecture of Kant which appears in the minor texts, being the first just the complementary thesis at the beginning of the intellectual career of Foucault, and the last about Kant s Aufklärung at the end of his career. The data treatment attends the procedure of Foucault in the complementary thesis: facing the minor texts with the more canonical ones. In the complementary thesis Foucault related the Anthropology to the Critics of Kant. In the present research the parallels are settled between the minor texts where Foucault deals with Kant in his books, emphasizing Madness and Civilization and The Order of things. The result shows that there are some kantism in Foucault, one can recognize it in the archeology and in the genealogy. The kantian Critic looks to get a new strength in them. This one suffers an actualization by Foucault. Thus, the archeological and genealogical Critic looks for the conditions of possibility of the origin , the duration and the disappearance of different discursive and non-discursive strategies of practices of knowledge-power that he calls historical empiricities. On the other side, the realm of empiricities is signed by Aperture; in it the Truth shows its reciprocal dependency with Freedom. These three realms (Critic, empiricity and Aperture) establish the proper field for the question of ethics and freedom in the immanence of knowledge-power relations. In the game of subjection and autonomy grows the esthetic of existence as art of the self; in this function it requires the care of the self, the know yourself and the practices of the self
Palavras-chave: Ethics
Freedom
Foucault, Michel, 1926-1984
Kant, Immanuel, 1724-1804
Etica
Liberdade
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Filosofia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Filosofia
Citação: Kraemer, Celso. Ethics and liberty in Foucault: one lecture of Kant. 2008. 300 f. Tese (Doutorado em Filosofia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/11765
Data de defesa: 10-Mar-2008
Aparece nas coleções:Programa de Estudos Pós-Graduados em Filosofia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Celso Kraemer.pdf2,04 MBAdobe PDFThumbnail

Baixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.