???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/12025
Tipo do documento: Dissertação
Título: Efeitos auditivos e não auditivos em músicos jovens
Título(s) alternativo(s): Auditory and non-auditory effects in young musicians
Autor: Passos, Priscila Silva 
Primeiro orientador: Fiorini, Ana Claudia
Resumo: A música é considerada um som agradável. No entanto, quando a exposição é continuada e em níveis elevados, pode interferir negativamente na vida das pessoas, principalmente de músicos, categoria profissional sistematicamente exposta a ela. Objetivo: O objetivo desta pesquisa foi estudar os efeitos auditivos e não auditivos em músicos jovens de uma banda filarmônica. Método: O estudo foi observacional, do tipo transversal de inquérito. A pesquisa foi realizada com 22 músicos de uma banda Filarmônica do município de Lagarto/SE. Os procedimentos incluíram Meatoscopia, Medidas de imitância acústica, Audiometria tonal, Emissões Otoacústicas evocadas por estímulo transiente (EOAT) e produto de distorção (EOAPD) e aplicação do Questionário de Incômodo relacionado ao ruído. Resultados: Participaram do estudo 22 músicos sendo 72,73% do sexo masculino e 27,27% do sexo feminino. A média de idade foi de 17,41 anos (±3,20) e a média do tempo de experiência como músico foi de 59,09 meses (± 36,78). Quanto ao tempo na banda, a média foi de 50,77 meses (± 39,86). A maioria dos músicos acredita que a sala de ensaios é ruidosa e 72,73% classificou a intensidade como moderada. Dentre os entrevistados, 59,09% acham que o ruído no seu ambiente de ensaio pode prejudicar os músicos. 72,73% dos músicos sentem-se incomodados com o som de algum instrumento, sendo os mais relatados: Trompete e percussão. A maioria deles acredita que o ruído do ambiente dificulta a comunicação com os outros; As principais queixas foram intolerância a sons intensos (59,09%) e zumbido (36,36%). Todos os indivíduos apresentaram limiares auditivos dentro dos padrões de normalidade. Entretanto, na orelha direita, foram observados 5 entalhes (22,72%) e na esquerda 10 (45,44%). Em geral, as EOAT e EOAPD foram presentes, porém, 2 músicos (9,09%) tiveram ausência de EOAET na OD em pelo menos uma das bandas de frequência e na OE esse fato ocorreu em 4 músicos (18,18%). Na EOADP constatou-se ausência de emissões em 6 músicos (27,27%) em pelo menos uma frequência, em ambas as orelhas. Conclusão: Apesar da amostra jovem e dos limiares auditivos normais, foi possível observar queixas auditivas importantes e algumas alterações nos testes de emissões otoacústicas, o que demonstra a importância de investigações com músicos nesta faixa etária
Abstract: Music is considered a pleasant sound. However, when the exposure is continued and at high levels, it can have a negative effect on people's lives, especially musicians, professional category that is systematically exposed to it. Objective: The objective of this research was to study the auditory and non-auditory effects in young musicians of a philharmonic band. Method: The study was observational, cross-sectional of inquiry type. The survey was conducted with 22 musicians of a philharmonic band of the city of Lagarto/Sergipe. The procedures included Meatoscopy, Acoustic Immitance Measurements, Tone Audiometry, Transient Evoked Otoacustic Emission (TEOAE) and Distortion Product (DPOAE) and application of the Nuisance Questionnaire related to noise. Results: The study included 22 musicians, being 72.73% male and 27.27% female. The average age was 17.41 years old (± 3.20) and the average length of experience as a musician was 59.09 months (± 36.78). Regarding the time in the band, the average was 50.77 months (± 39.86). Most musicians believe that the rehearsal room is noisy and 72.73% classified the intensity as moderate. Among the respondents, 59.09% think that the noise in their rehearsal environment can harm the musicians. 72.73% of the musicians feel uncomfortable with the sound of an instrument, the most reported are trumpet and percussion. Most of them believe that environment noises hinder communication with others; the main complaints were intolerance to intense sounds (59.09%) and tinnitus (36.36%). All subjects presented auditory thresholds within normal patterns. However, in the right ear, it was observed 5 notches (22.72%) and 10 in the left (45.44%). In general, TEOAE and DPOAE were present, but, 2 musicians (9.09%) had absence of TEOAE in the right ear in at least one of the frequency bands and in the left, that fact occurred in 4 musicians (18.18%). In the DPOAE, it was found out an absence of emissions in 6 musicians (27.27%), in, at least, one frequency, in both ears. Conclusion: Despite the young sample and normal auditory thresholds, we observed significant hearing complaints and some changes in otoacoustic emissions tests, which demonstrate the importance of research with musicians in this age group
Palavras-chave: Audição
Ruído ocupacional
Música
Incômodo
Hearing
Occupational noise
Music
Annoyance
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::FONOAUDIOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Fonoaudiologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia
Citação: Passos, Priscila Silva. Auditory and non-auditory effects in young musicians. 2015. 93 f. Dissertação (Mestrado em Fonoaudiologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2015.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/12025
Data de defesa: 12-Aug-2015
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Priscila Silva Passos.pdf969,02 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.