???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/12163
Tipo do documento: Dissertação
Título: Investigação do limiar de resolução temporal auditiva em idosos ouvintes
Título(s) alternativo(s): Research of the auditory temporal resolution threshold in the elderly listeners
Autor: Queiroz, Daniela Soares de 
Primeiro orientador: Santos, Teresa Maria Momensohn dos
Resumo: Introdução: A habilidade auditiva de resolução temporal é responsável pela identificação de intervalos de silêncio em função do tempo, possibilitando a percepção da ocorrência de um ou dois estímulos sonoros. Transtornos desta habilidade auditiva estão freqüentemente relacionados a dificuldades de processamento fonológico e discriminação auditiva de pistas temporais da fala. Pesquisas relatam que o sujeito idoso necessita de intervalo maior para identificar a presença de dois tons e isso explicaria algumas das queixas de compreensão de fala dessa população. Objetivo: Medir o limiar de resolução temporal em idosos através do Teste de Detecção de Intervalo Aleatório Expandido (RGDT-E), desenvolvido por Keith (2002) e verificar a correlação entre os resultados do RGDT para as variáveis gênero, idade, limiar audiométrico e pontuação no questionário de auto-avaliação da comunicação (SAC). Metodologia: Foram avaliados 63 indivíduos de ambos os gêneros com audição periférica normal ou perda do tipo neurossensorial, simétrica de até grau leve. Resultados: Observou-se melhor desempenho, em milissegundos (ms), do grupo do gênero masculino em todas as freqüências avaliadas, sendo a média dos resultados do RGDT entre as freqüências de 500 e 4000 Hz, para o gênero feminino de 104,81 ms (DP ± 48,8 ms), e para o gênero masculino de 22,08 ms (DP ± 20,15). Com relação aos resultados do SAC, a maior parte da população avaliada (62:63) não apresentou queixas significativas de dificuldade de comunicação (SAC de grau 1 ou 2), sendo que no grupo do gênero masculino, nenhum sujeito (0:10) apresentou queixas significativas de dificuldade de comunicação e, no grupo do gênero feminino, apenas 1:53 apresentou queixa (SAC de grau 3). Os resultados para o SAC em porcentagem também foram semelhantes em ambos os grupos, com média de 9,95% (DP ± 12,28%) para o grupo de mulheres e de 7,78% (DP ± 7,12%) para o grupo de homens. Quando comparados os resultados do questionário SAC com o RGDT, observou-se que dentre os sujeitos do gênero masculino, apenas um sujeito, dentre os 10 avaliados, apresentou limiar de resolução temporal maior do que 20 ms e mesmo assim apresentava SAC de Grau 1. Em contrapartida, no grupo do gênero feminino, 50 mulheres, entre as 53 avaliadas, apresentaram resultados médios para o RDGT maiores do que 20 ms, entretanto, apenas uma apresentou queixa significativa de dificuldade de comunicação (SAC de Grau 3). Na análise estatística da variável gênero sobre as variáveis RGDT e SAC, observou-se que ambos os gêneros são estatisticamente diferentes apenas para os resultados do RGDT. Em contrapartida, não foram observadas diferenças estatisticamente significativas entre os gêneros para o SAC. Com relação à idade e à configuração audiométrica não foram observadas diferenças estatisticamente significativas tanto para as variáveis do RGDT quanto para o SAC. Conclusão: Comparando os resultados do RGDT com os valores de referência para a população jovem, a idade mostrou-se fator de piora dos limiares de resolução temporal, principalmente para o gênero feminino, entretanto, mesmo com limiares aumentados, essa população não refere dificuldades de comunicação
Abstract: Introduction: The auditory temporal resolution ability is responsible for the identification of silence gaps in function of time, allowing the perception of the occurrence of one or two stimuli. This auditory ability disorders are frequently associated with difficulties in phonological processing and in auditory discrimination of temporal cues in speech. Studies report that elderly subjects need a bigger gap to identify the presence of two tones and this would explain some of the complaints about the speech comprehension of this population. Objective: To measure the temporal resolution threshold in elderly people through the Random Gap Detection Test Expanded (RGDT-E), developed by Keith (2002), and to verify the correlation between the RGDT results for the variables gender, age, audiometric threshold and punctuation in the Self-Assessment of Communication questionnaire (SAC). Methodology: We evaluated 63 subjects of both genders with normal peripheral hearing or symmetric mild sensorineural hearing loss. Results: A better performance was observed, in milliseconds (ms), of the male gender group in all evaluated frequencies, where the RGDT results average is between 500 and 4000 Hz frequencies, for the female gender of 104,81 ms (DP+- 48,8 ms), and for the male gender of 22,08 ms (DP+- 20,15). Regarding the SAC results, most part of the evaluated people (62:63) didn't present significant complaints of communication difficulty (SAC of level 1 or 2), where in the male gender group any subject (0:10) presented significant complaints of communication difficulty, and in the female gender group, only 1:53 presented complaints (SAC of level 3). The results for the SAC in percentage were also similar in both groups, with an average of 9,95% (DP+- 12,28%) for the women group and of 7,78% (DP+- 7,12) for the men group. When the SAC questionnaire was compared with the RGDT, it was observed that between the male gender subjects only one subject, among 10 evaluated, presented temporal resolution threshold bigger than 20ms and also presented SAC of level 1. On the other hand, in the female gender group, 50 women, among 53 evaluated, presented medium results for the RDGT bigger than 20ms; however, only one presented significant complaint of communication difficulty (SAC of level 3). In the statistic analysis of the variable gender over the variables RGDT and SAC, it was observed that both genders are statistically different only on the RGDT results. On the other hand, it wasn't observed significant statistically differences between the genders for the SAC. Concerning the age and the audiometric configuration, significant statistically differences weren't observed for the RGDT variables or for the SAC. Conclusion: Comparing the RGDT results with the reference values for young population, the age presented to be a complicate factor of the temporal resolution thresholds, mainly for the female gender; however, even with increased thresholds, this population doesn't mention communication difficulties
Palavras-chave: Transtornos da audição
Idoso
Hearing
Hearing disorders
Aged
Audicao
Disturbios da audicao
Idosos
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::FONOAUDIOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Fonoaudiologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia
Citação: Queiroz, Daniela Soares de. Investigação do limiar de resolução temporal auditiva em idosos ouvintes. 2008. 97 f. Dissertação (Mestrado em Fonoaudiologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/12163
Data de defesa: 27-Feb-2008
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Daniela Soares de Queiroz.pdf1,76 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.