???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/13481
Tipo do documento: Tese
Título: A autoconfrontação simples e a instrução ao sósia: entre diferenças e semelhanças
Autor: Rodrigues, Daniella Lopes Dias Ignácio 
Primeiro orientador: Machado, Anna Rachel
Resumo: Este trabalho tem por objetivo mais geral identificar semelhanças e diferenças entre os procedimentos metodológicos de Autoconfrontação e de Instrução ao Sósia. Mais especificamente, buscamos identificar as características lingüísticas, textuais e discursivas dos textos gerados nos e por esses procedimentos metodológicos, a fim de contribuir para os estudos que utilizam tais metodologias na análise do trabalho docente. Para atingirmos nossos objetivos, adotamos pressupostos teórico-metodológicos do Interacionismo Sociodiscursivo (ISD) (BRONCKART, 1999, 2003, 2007, 2004, 2006, 2008), vertente interdisciplinar da Psicologia, que atribui ao agir e à linguagem um papel fundamental no desenvolvimento humano. Assumimos, também, aportes teóricos da Ergonomia da Atividade Francesa (AMIGUES, 2004; SAUJAT, 2005) e da Clínica da Atividade que se fundamentam na Psicologia do Trabalho (cf. CLOT, 2001, 2006; CLOT et all 2001; FAÏTA, 1997, 2004, 2005; SCHELLER, 2003). A junção que estabelecemos entre essas três linhas teóricas, de um lado o ISD e, de outro, a Ergonomia da Atividade e a Clínica da Atividade, justifica-se pelo fato de terem em comum o mesmo referencial teórico de base, apoiando-se em autores fundadores como Vygotsky, em relação às questões de ordem psicológica, e Bakhtin, em relação às questões de linguagem. Além disso, essas linhas de pesquisa postulam a necessidade de uma abordagem transdisciplinar nas Ciências Humanas/Sociais, contestando a divisão e o confinamento de disciplinas que têm em comum o humano e o social e que não podem ser compreendidas de maneira isolada. Utilizamos, ainda, categorias da Análise da Conversação, como os tipos de perguntas no par dialógico pergunta/resposta à luz dos trabalhos de Kerbrat-Orecchioni (2006). A coleta de dados foi realizada por meio dos procedimentos: i) da Autoconfrontação, procedimento criado pelo linguista Daniel Faïta (1997) a partir da experiência de confrontar condutores do trem de alta velocidade (TGV) através de uma sequência de atividade filmada (FAÏTA, 1997 e CLOT et alli, 2001) e; ii) da Instrução ao Sósia, em que instruções sobre como agir no trabalho são fornecidas à pesquisadora pelo professor participante da pesquisa em uma situação hipotética de substituição (ODDONE, 1981). Os textos co-produzidos pelos informantes e a pesquisadora foram analisados nos níveis situacional, organizacional e enunciativo, conforme proposta de Machado (no prelo) e Bronckart (1999, 2003, 2007, 2004, 2006, 2008). Os resultados das análises revelam que o texto produzido a partir da Autoconfrontação mostra-se mais subjetivo, uma vez que as avaliações da professora informante são mais explícitas. Já o texto da Instrução ao Sósia apresenta-se menos subjetivo, uma vez que a descrição do professor participante da pesquisa destaca o papel das prescrições no trabalho docente, fazendo com que o texto expresse o que é necessário ao agir docente. Com isso, nossa pesquisa aponta para a necessidade de se desenvolver mais estudos, investigações e pesquisas sobre o uso desses procedimentos
Abstract: This paper aims in general terms at identifying similarities and differences between the methodological procedures of Self-confrontation and Instruction to the Double. More specifically, we have attempted to identify the linguistic, textual, and discursive characteristics of texts generated in and by these methodological procedures in order to contribute to the studies that use such methodologies in the analysis of teaching work. To reach our goals, we have adopted the theorical-methodological presuppositions of the Socio-discursive Interactionism (ISD) (BRONCKART, 1999, 2003, 2007, 2004, 2006, 2008), an interdisciplinary area from Psychology, which attributes a fundamental role in the human development to the acting and the language. We also assume theoretical aspects from the Ergonomics of the French Activity (AMIGUES, 2004; SAUJAT, 2005) and from the Clinic of the Activity, based on the Psychology of Work (see CLOT, 2001, 2006; CLOT et al 2001; FAÏTA, 1997, 2004, 2005; SCHELLER, 2003). The connection that we have established between these three theoretical lines, the ISD, on the one side, and on the other, the Ergonomics of the Activity and the Clinic of the Activity, is justified by the fact that they have the same theoretical framework in common, relying in founding authors such as Vygotsky, in relation to the psychological issues, and Bakhtin, in relation to the language issues. Moreover, these research lines postulate the necessity of a transdisciplinary approach in the Human/Social Sciences, questioning the division and the confinement of disciplines that have in common human and social aspects and that cannot be understood separately. We have also used categories from the Conversation Analysis, such as the types of questions in the dialogical pair question/answer, according to Kerbrat-Orecchioni's works (2006). The data collection was carried through the following procedures: i) Self-confrontation, procedure created by the linguist Daniel Faïta (1997) from the experience of confronting conductors of a high speed train (TGV) through a sequence of filmed activities (FAÏTA, 1997 e CLOT et al, 2001) and; ii) Instruction to the Double, in which instructions on how to act in the workplace are supplied to the researcher by the teacher participating in the research in a hypothetical substitution situation (ODDONE, 1981). The texts co-produced by the informants and the researcher were analyzed in the situational, organizational, and enunciative levels, according to a proposal by Machado (in print) and Bronckart (1999, 2003, 2007, 2004, 2006, 2008). The results of the analyses reveal that the text produced from the Self-confrontation is more subjective, as the informant teacher s evaluations are more explicit. On the other hand, the text of the Instruction to the Double is less subjective, as the description of the teacher participating in the research highlights the role of the prescriptions in their teaching, allowing the text to express what is necessary to the teaching acting. Thus, our research points to the necessity of developing more studies, investigations and researches on the use of such procedures
Palavras-chave: Interacionismo sociodiscursivo
Ensino como trabalho
Linguagem sobre trabalho
Socio-discursive interactionism
Teaching as work
Language about work
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA::LINGUISTICA APLICADA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Lingüística
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem
Citação: Rodrigues, Daniella Lopes Dias Ignácio. A autoconfrontação simples e a instrução ao sósia: entre diferenças e semelhanças. 2010. 165 f. Tese (Doutorado em Lingüística) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/13481
Data de defesa: 18-Nov-2010
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Daniella Lopes Dias Ignacio Rodrigues.pdf2,32 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.