???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/14787
Tipo do documento: Dissertação
Título: Memorial do Convento: do lírico-grotesco ao sublime
Autor: Liando, Neli Côndello
Primeiro orientador: Junqueira, Maria Aparecida
Resumo: O presente estudo tem como objetivo elucidar a (con)figuração lírico-grotesca no Memorial do Convento (1982) de José Saramago, revelando-a não só como instrumento de construção do híbrido ficcional no discurso romanesco contemporâneo, mas também como ponto de articulação dos contrários que, unidos, operam o efeito de sublimidade no romance. Para alcançar este fim, o realismo grotesco, teoria postulada por Mikhail Bakhtin em A Cultura Popular na Idade Média e no Renascimento - O Contexto de François Rabelais (1999), é empregada como escopo no captar dos vários estilos e tons que a narrativa comporta. Além disso, as concepções de lirismo e os estudos de Edmund Burke (1993) sobre o sublime também foram utilizados. Trata-se, o Memorial do Convento, de um romance que se assenta em uma politonalidade de vozes com gradações heterogêneas. Tais vozes advêm de uma mesma fonte: o Carnaval, que se caracteriza pela alegria relativa, pelo contato familiar livre, pelas inversões hierárquicas, pelo destronamento do rei, pelo sentido de renovação. Essas características unidas formam a cosmovisão carnavalesca de mundo e instauram a operação do campo sério-cômico. Manifestam-se no corpus sob a forma de ironia, de ambigüidades, de sátira menipéia, de paródia, de lirismo, de sublime; todas amarradas pelo nó indossolúvel do grotesco, é o que observou, analiticamente, o trajeto da pesquisa. Mediante o resgate dessas formas, revela-se que José Saramago, apesar de partir da História oficial, concentra o enredar narrativo nas lacunas deixadas por ela. Altera, assim, o ângulo de visão ao inserir pequenos cartuchos ficcionais, que acabam contaminando o texto, a ponto de construir um outro universo, um mundo às avessas, onde tudo o que é elevado, oficial, sério, unilateral, é revisto numa outra óptica: oficiosa, destronadora, questionadora. Por meio de um riso sutil, corrosivo, grotesco, revela o fazer do nosso tempo, a estética da contemporaneidade que, além de bela, pode ainda tornar-se sublime
Abstract: The main objective of this study is to elucidate the lyric-grotesque (con)figuration in Memorial do Convento (1982) from José Saramago, revealing it not only as a construction instrument of the fictional hybridism in the contemporary novel discourse, but also as an articulation point of the contraries that, together, operate the novel sublime effect. To reach this aim, the grotesque realism, a theory postulated by Mikhail Bakhtin in A Cultura Popular an Idade Média e no Renascimento O Contexto de François Rabelais, is used as a scope in the grasping of various styles and pitches that the narrative owns. Besides this, the lyricism conception and the Edmund Burke studies about the sublime were used. Memorial do Convento, is a novel that keeps a multi pitches of voices, not in unison, but with heterogeneous gradualness. These voices come from the same source: the Carnival, that is characterized by relative happiness, free family contact, hierarchy inversions, the king s throne removal and the sense of renovation. These characteristics together form the carnavalistic cosmovision of the world and institute the operation from the field of serious-comedian. And this vision is demonstrated in the corpus by the form of irony, ambiguity, satire, parody, lyricism, sublime; all of them tied by the indissoluble knot of grotesque, and this is analytically observed in the research route. By the recovering of these forms, it is possible to reveal that José Saramago, even having the Official History, he concentrates his narrative in the gaps left by it. Though, he changes the vision angle when he inserts tiny fictional cartridges that contaminate the text in a point to build another universe, a wrong way round world where everything is elevated, official, serious and unilateral which is seen again in a different optic: unofficial (according to the Official History), removal of the king s throne and questionable. By the use of a subtle, corrosive and grotesque smile he reveals our way of doing things in this present time, the contemporary aesthetic, that, besides beauty, can still become sublime
Palavras-chave: Grotesco
Lirismo
Sublime
Belo
Grotesque
Lyricism
Sublime
Beauty
Contemporary novel
Saramago, Jose -- 1922- -- Memorial do convento -- Critica e interpretacao
Sublime na literatura
Grotesco na literatura
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS::LITERATURAS ESTRANGEIRAS MODERNAS
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Literatura
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária
Citação: Liando, Neli Côndello. Memorial do Convento: do lírico-grotesco ao sublime. 2006. 132 f. Dissertação (Mestrado em Literatura) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2006.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/14787
Data de defesa: 14-Jun-2006
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao Neli Condello Liando.pdf675,5 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.