???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/14891
Tipo do documento: Dissertação
Título: Uma poética da naturalidade: ecos de Manuel Bandeira nas crônicas de Rubem Braga
Autor: Lima, Aline Rezende de Almeida 
Primeiro orientador: Bastazin, Vera Lúcia
Resumo: A crônica de Rubem Braga se apresenta como uma das mais marcantes da literatura brasileira moderna. Parte significativa dessa autoridade advém do lirismo que Braga impingiu à sua prosa. Poeta das ruas, ele tinha a sensibilidade aguçada para captar a beleza fugaz, estivesse ela nas mulheres ou nos fatos corriqueiros. A linguagem informal do texto, com ares de batepapo, disfarça um alto grau de complexidade. O crítico Davi Arrigucci Jr. identificou no estilo do cronista semelhanças com a poética de Manuel Bandeira, a qual batizou de humilde . O objetivo central deste trabalho é testar as proximidades e limites da relação entre as crônicas de Braga e os poemas de Bandeira. A investigação será realizada em torno de três aspectos, nos quais enxergamos similaridades lexical (sintaxe direta e elocução informal), literária (epifania como procedimento de construção do texto) e temática (destaque ao cotidiano e à figura da mulher). Ao longo da análise, verificamos que o discurso dos dois escritores se reveste de uma simplicidade aparente, que escamoteia um meticuloso processo de elaboração da linguagem. São marcas poéticas disfarçadas de prosaísmo. Dado o nível de elaboração por meio do qual esse traço de espontaneidade é obtido, passamos a nos referir ao estilo como poética da naturalidade. O estudo estará fundamentado em dois tipos de análise: estilística isto é, nos arranjos de linguagem e seus elementos sonoros, sintáticos e semânticos; e do discurso. A análise estilística fornece os elementos necessários para examinarmos o uso de recursos próprios da poesia nas crônicas de Braga. A análise do discurso permite contemplar a visão de mundo que existe por detrás da construção poética e explorar as possíveis significações sugeridas pelo texto. Ao combinar essas duas formas de investigação, pretendemos oferecer uma leitura mais abrangente da narrativa poética de Rubem Braga. Para a fundamentação conceitual, recorremos tanto à chamada escola formalista russa Roman Jakobson, Yuri Tynianov e Victor Chklóvski quanto aos estudos desenvolvidos por Mikhail Bakhtin, por acreditarmos tratarem-se de linhas complementares além das providenciais leituras das obras de Braga e Bandeira feitas por críticos brasileiros
Abstract: The chronicle of Rubem Braga presents itself as one of the most striking of modern Brazil. Significant part of that authority is the lyricism that foist his prose. Poet of the streets, had a sharp sensitivity to capture the fleeting beauty, in women or in quotidian facts. The informal language of the text, with acres of chat, disguises a high degree of complexity. The critic David Jr. Arrigucci identified the style of the chronicler similarities with the poetry of Manuel Bandeira, which named the "humble". The central objective of this work is testing the limits and close the relationship between Braga's chronicles and Bandeira's poems. This research will be carried out in three aspects, in which similarities re: lexical (which involves the direct syntax and informal elocution), literary (epiphany and procedure of construction of the text), theme (the prominent position of women). The study is based on two types of analysis: style - that is, the arrangement of language and sound elements, syntactic and semantic - and discourse analysis. The stylistic analysis provides the elements necessary to examine the use of own resources of poetry in the chronicles of Braga. The analysis of discourse, by contemplating the vision of the world that exists behind the poetic construction, allows the exploration of possible meanings suggested by the text. Combining these two forms of research, we offer a more comprehensive reading of the poetic narrative of Rubem Braga. Throughout the analises, we recognized that the two writers' text is marked by an appearent simplicity, that disguises a meticulous process of compisitional style. There are poetic marks hiden in the prose. Given the level of elaboration through the spontaneity of which it is obtained we may refer to the style as poetry of the naturality of trivialities. For conceptual reasons, we call on both the Russian formalist school - Roman Jakobson, Yuri Tynianov and Victor Chklovski - and the studies developed by Mikhail Bakhtin, for we believe it is complementary lines - beyond the providential readings of the work of Braga and Bandeira made by Brazilians critics
Palavras-chave: Crônica
Narrativa poética
Rubem Braga
Manuel Bandeira
Chronicle
Poetic narrative
Braga, Rubem -- 1913-1990 -- Critica e interpretacao
Bandeira, Manuel -- 1886-1968 -- Critica e interpretacao
Analise do discurso literario
Cronicas brasileiras
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS::LITERATURA COMPARADA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Literatura
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária
Citação: Lima, Aline Rezende de Almeida. Uma poética da naturalidade: ecos de Manuel Bandeira nas crônicas de Rubem Braga. 2009. 109 f. Dissertação (Mestrado em Literatura) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/14891
Data de defesa: 30-Apr-2009
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Aline Rezende de Almeida Lima.pdf630,44 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.