???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15340
Tipo do documento: Tese
Título: A força inventiva da voz ignorada
Autor: Assy, Maria Rita do Amaral 
Primeiro orientador: Rolnik, Suely Belinha
Resumo: O presente trabalho desenvolveu uma proposta de audição de entrevistas com trabalhadores e seus familiares atraídos para as obras de construção da barragem de Sobradinho/BA no final da década de 1970. Os entrevistados, como mostra a pesquisa realizada, é uma gente ignorada, condição um tanto diferente de explorada , dizimada , oprimida , isolada . Não é fácil compreendê-la como classe social, nem como um povo. De algum modo, essa condição de ignorada marcou a ocupação da região do submédio São Francisco. No entanto, não é uma condição exclusiva dessa gente. As formas de dominação a que estivemos submetidos desde as conquistas dos territórios colonizados deixaram vazios, por razões estratégicas, e estes foram ocupados com outros modos de vida. Foi o lugar da dominação em que o dominador exerceu a sua ausência. Foi o lugar onde as forças menores ganharam tempo. Há uma intensa produção existencial nesse lugar do ignorado. Só mesmo aproximando-se de sua existência ignorada para vê-la. O áudio foi gravado cerca de vinte anos depois de concluídas as obras. No mesmo momento em que, nas gravações, ouve-se a emissão de uma comunicação, de informações e evidencia-se a situação da entrevista, modula-se nas vozes ignoradas o som das marcas ainda vívidas do acontecimento. O encontro nessa forma da matéria linguajeira será capaz de abrigar um campo onde as vozes atuem e o ouvinte veja-se no corpo-a-corpo com o mundo? Dito de outro modo, interpretadas pela edição e mediadas por esses dispositivos tecnológicos é possível que as forças performativas das vozes atuem como pensamento, ativem a invenção de si e do mundo? E na academia, onde se costuma extrair das entrevistas apenas as informações, ou seja, ouvir só aquilo que atende ao preestabelecido pelo pesquisador? Para responder, este trabalho propõe uma qualidade de atenção, em que seja possível ouvir com concentração, porém sem foco, como um caçador de veados, que percebe a paisagem e a paisagem que o percebe. E tece uma escrita acompanhando os trechos das entrevistas, ela própria se fazendo dessa atenção. A audição sucessiva pode oferecer o exercício da mesma atenção ao leitor-ouvinte e, quem sabe, não uma nova versão sobre a construção da barragem de Sobradinho, nem mesmo uma reconstituição histórica desse período, mas outros modos de pensar. Essa é a tese
Abstract: This study developed a proposal for listening interviews with workers and families attracted to work in the construction site of Sobradinho/Ba dam in the late 1970 s. Interviewees, as research shows, are ignored people, which is quite different than being exploited , decimated , oppressed , and isolated . It is not easy to understand them as a social class neither as a people. Somehow, this condition of being ignored marked the occupation of the region called lower-medium São Francisco . However, it is not a condition that is exclusive to these people. The forms of domination imposed on us since colonization have left empty spaces due to strategic reasons, and they were occupied with other means of life. It was the locus of domination where dominators were absent. It was the locus where smaller forces gained time. There is intensive existential production in this ignored locus. Only getting closer to this ignored existence makes it possible to see it. Audio was recorded about twenty years after the completion of construction. In the recordings, at the same time as one hears the conveyance of communication, of information, and the situation of interview becomes clear, ignored voices modulate the sound of the still-living marks of the fact. Will the meeting of this form of language matter be capable of housing a field where voices operate and listeners can see themselves in the struggle with the world? Said in another way, is it possible that, after interpreted by editing and mediated by technological devices, voice performance forces operate as thought, activating the invention of themselves and the world? What about academia, where only information is usually extracted from interviews, that is, one listens only that which was pre-established by the researcher? To answer that, this paper proposes a quality of attention in which it is possible to listen with concentration, however without focus, like a deer hunter, who perceives the landscape and the landscape that perceives him; and weaves a text following excerpts of the interviews, giving up this form of attention. Successive listening may provide the exercise of the same type of attention to the reader-listener and, who knows, not a new version of the construction of Sobradinho dam, neither a historical reconstitution of that period, but other ways of thinking. This is the thesis
Palavras-chave: Trabalhadores da barragem de Sobradinho/BA
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Psicologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica
Citação: Assy, Maria Rita do Amaral. A força inventiva da voz ignorada. 2014. 140 f. Tese (Doutorado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15340
Data de defesa: 8-Apr-2014
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Maria Rita do Amaral Assy.pdf1,11 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.