???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15558
Tipo do documento: Tese
Título: O impensável na clínica
Título(s) alternativo(s): Clinic of Unthinkable
Autor: Aragon, Luis Eduardo Ponciano
Primeiro orientador: Rolnik, Suely Belinha
Resumo: Fruto de experiência clínica que imbricou os campos da medicina e da psicanálise, esta pesquisa circunscreve uma forma de sofrer particularmente atual, decorrente da distância entre a alta produtividade de objetos formais (técnicos, estatísticos, arquitetônicos, conceituais, ideativos, etc.) que são oferecidos aos sentidos, e a restrição do poder de apreender a realidade de forma intensiva, intuitiva ou pática. Para isso, combina o método cartográfico pelo qual se explicitam as sensações vividas nesta clínica, nômade, por deslizar em devires de corpos sempre defasados em relação a si com a construção de inúmeras alianças teóricas com pensadores vinculados principalmente à Filosofia da Diferença e à Psicanálise. Com inspiração em Winnicott e Illich, o conceito de esquizoalgia é usado para falar da agonia que habita este território, que não pode ser determinado como corpóreo ou mental, consciente ou inconsciente, objetivo ou subjetivo. A contribuição de autores como Lyotard, Deleuze, Simondon, Uexküll e Stern, ajuda a delimitar a idéia de corpo-acontecimento , um corpo não apenas empírico, mas também sustentado por uma realidade pré-individual, virtual. O deslocamento de uma perspectiva de análise que visa as formas individuadas (sujeito, nomes de patologias, modelos teóricos), para a processualidade impessoal, inédita e imprevisível dos acontecimentos, dá condição para pensar um sofrer relacionado à própria emergência do processo de subjetivação. E, desta forma, também uma clínica que lide com este sofrer. A concepção deste corpo intensivo, pulsante e rítmico põe as bases para uma clínica que lide com os aspectos afetivos e virtuais do ser; que instaura um processo de errância quanto ao que se pretende fixo e estruturado, penetrando o terreno brumoso das sensações, afetos de vitalidade, intuições e memórias intensivas . Neste ponto, são usadas contribuições de Bion (os proto-pensamentos e a intuição). Por fim, é ressaltada a perspectiva ético-política da opção clínica desenvolvida, apresentando-se alguns pontos que foram se afirmando como conseqüência da experiência.
Abstract: This research circumscribes a particularly current form of suffering as the result from a clinical practice that overlapped the medical and psychoanalytical fields. This specific suffering is seen as the consequence from the distance between the great productictivity of formal objects (technical, statistical, architectural, conceptual, etc) being offered to the senses and the restriction of the power to apprehend reality in a intensive and intuitive way. For that purpose, it combines the cartographic method through which are cleared out the sensations lived in this nomadic clinical practice, sliding in becoming-bodies always out of step with one self with the assembling of several theoretical alliances with thinkers linked primarily to the Philosophy of Difference and to Psychoanalysis. Inspired by Winnicott and Illich, the concept of schizoalgy is used to address the anguish that dwells in this territory and cannot be determined as corporeal or mental, conscious or unconscious, objective or subjective. The contribution of authors like Lyotard, Deleuze, Simondon, Uexküll and Stern, helps to set the limits of a body-occurrence , a body not only empirical, but also held up by a pre-individual and virtual reality. The displacement from an analytical perspective that aims at singled out forms (subject, pathological classification, theoretical standards) to a impersonal process-action of events, unique and unpredictable, is what sets the conditions to thinking a form of suffering related to the emergence of the subjectivity-act process. And therefore, to also think a clinical practice that deals with that suffering. The genesis of such intensive body, pulsing and rhythmical, lay the basis for a clinical practice that deals with the affective and virtual aspects of being. Such practice establishes an erratic process regarding what is intended to be structured and permanent to get into the misty ground of sensations, affections of vitality, intuitions and intensive memories. At this point, it s used the contributions by Bion (the proto-thoughts and intuition.) Key words: Medicine, Psychoanalysis, Clinical Practice, Ethics, Body, Suffering
Palavras-chave: medicine
psychoanalysis
clinical practice
ethics
body
suffering
fetal cardiology
Medicina
Psicanálise
corpo
sofrimento
clínica
ética
cardiologia fetal
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Psicologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15558
Data de defesa: 6-May-2005
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
luis eduardo ponciano aragon.pdf10,73 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.