???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/16370
Tipo do documento: Dissertação
Título: Violência na Escola: Concepções e atuação de professores
Autor: Martins, Eni de Fatima
Primeiro orientador: Moroz, Melania
Resumo: O presente estudo tem como objetivo conhecer as concepções dos professores sobre violência e sua atuação frente às várias formas de violência presentes no cotidiano escolar, visando à ampliação dos conhecimentos sobre a problemática da violência nas escolas e à produção de subsídios para a formação de educadores. Considera-se que a escola, embora não seja isolada de todo o contexto em que esta inserida pode dar importantes contribuições para a transformação do atual quadro de violência. A Psicologia Sócio Histórica, a partir das contribuições de Vigotski, e a Pedagogia Histórico Crítica, com as contribuições de Saviani e Duarte, serviram de apoio teórico metodológico do presente estudo. Participaram como sujeitos da pesquisa 112 professores do ensino fundamental (5ª à 8ª série) e médio da rede pública estadual de uma cidade do interior do estado de São Paulo. Considerando-se a importância dos professores na educação escolar, por seu papel mediador no ensino sistemático dos conhecimentos científicos e dos comportamentos ético/morais, optou-se por estudar o fenômeno da violência na escola a partir de seus posicionamentos. Para o levantamento de informações foi utilizado um questionário, com questões abertas e fechadas que visavam mapear os tipos de violência encontrados na escola, a concepção de violência dos professores e as ações destes no enfrentamento da problemática. Entre outros aspectos, os resultados mostram que os professores têm um conceito bastante amplo da violência na escola. Além de atos como agressão verbal, agressão física sem lesão e agressão física com lesão serem considerados atos de violência, também a falta de respeito é considerada como tal e, por vezes, ocorre confusão entre indisciplina e violência. Evidenciou-se, também, que a intenção do agressor, e não a conseqüência do ato praticado, é fator levado em conta para categorizar o ato como violência: a destruição de propriedade privada, por exemplo, é considerada violência por mais sujeitos do que matar para se defender. Ainda, verificou-se que as explicações que os sujeitos fornecem para os atos de violência focam, especialmente, a educação familiar e as características pessoais dos alunos, tendo sido mencionados também os modelos da mídia e as normas e valores vigentes na sociedade; a escola foi um dos itens mencionado com baixa frequência. No que se refere à atuação dos professores frente aos atos de violência, houve maior ênfase ao diálogo individualmente, com agressor e agredido, ou em atividades grupais, como em reuniões com professores e com pais; tais ações mais freqüentemente têm os alunos como alvo. Quanto às atitudes consideradas preventivas à violência, novamente o diálogo sobre o assunto com todos os segmentos da escola é o item mais citado. Não se verificou a presença policial na escola, como forma de prevenção, no entanto registrar atos violentos de alunos no livro de ocorrências é muito comumente visto como ato preventivo. A partir de tais resultados são feitas sugestões, para a formação dos professores, que favoreçam o esclarecimento sobre o fenômeno da violência, o desenvolvimento de atividades coletivas que supõem ações em direção a um objetivo educacional comum
Abstract: This study aims to get to know the teachers conceptions about violence within the school, and their attitudes to deal with the different ways violence is expressed, in order to provide subsidies to improve educators formation. The school is considered na important tool to transform the current situation of the existing violence. The Social Historic Psychology based on Vigotski s theories and the Critical Historic Pedagogy based on Saviani and Duarte s theories, were the theoretical and metodological references used in this study. As the subjects for the research, 112 mainstream teachers of secondary school were chosen. The work at a state school in the outbacks of São Paulo state. Since the teacher has a fundamental role in educating by being the teaching mediator of scientific knowledge and ethical/moral behaviours, it was decided that the study of violence should be carried out based on the teacher s approach of violence. For the data collecting, a questionary was used with open and closed questions about the different types of violence found in the school, in the teachers views on violence and their actions in order to deal with it. The results showed the teachers wide concept of violence. Issues such as verbal and physical agression with or without injuries were classified as acts of violence. The lack of discipline was also classified as a violent act which showed the mistaken view in which indiscipline is seen as violence. The agressor s intention rather than the consequence of his act was put in evidence as violence. For instance, the breaking into a private property was considered violence by a grater number of people than the act of killing someone in self-defence. It was stated that the explanations provided by the subjects regarding violent acts focused the familiar education and the students personal characteristics. The media, norms and values in society were also mentioned. About the teachers attitudes regarding the violence, it was emphasized the individual diologue between the agressor and the injured, as well as meetings with teachers and parents in which students are the focus. Regarding the preventive behavior against violence, the dialogue within the school is also emphasized. The presence of police officers in the school were not pointed as preventive act. Therefore, the record of violent acts in the school is seen as a preventive act. Based on the results, it was suggested the development of group activities in order to improve the teachers knowledge about the violence phenomenon towards comum educational actions
Palavras-chave: Violência nas escolas
cotidiano escolar
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO::FUNDAMENTOS DA EDUCACAO::PSICOLOGIA EDUCACIONAL
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Psicologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: Psicologia da Educação
Citação: Martins, Eni de Fatima. Violência na Escola: Concepções e atuação de professores. 2005. 207 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/16370
Data de defesa: 23-May-2005
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: Psicologia da Educação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Eni de Fatima Martins.pdf12,61 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.