???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/17107
Tipo do documento: Dissertação
Título: O real do feminino em Hamlet, Macbeth e Rei Lear: considerações sobre o suicídio em Lacan
Autor: Ferretti, Mariana Galletti 
Primeiro orientador: Pacheco Filho, Raul Albino
Resumo: Tendo como base o conceito lacaniano de real aquilo que está para além da ordem do significante e, portanto, do registro simbólico , esta pesquisa pretende articular tal conceito às consagradas tragédias de Shakespeare Hamlet, Macbeth e Rei Lear. Busca-se examinar em que medida o estudo do suicídio nessas obras shakespearianas possibilita a articulação entre os conceitos de real e de passagem ao ato. Para Lacan, o suicídio pode ser uma forma de passagem ao ato e esta traz, em si mesma, uma ligação com o real. Dado que tais suicídios são atos protagonizados por mulheres, torna-se pertinente nos debruçarmos sobre a questão da feminilidade na psicanálise, tema esse que pode nos fornecer importantes subsídios para pensarmos sobre os mesmos. Para Lacan, não existe complementaridade entre as partes justamente porque as mulheres não podem ser representadas num conjunto; trata-se da não existência da relação sexual, um dos preceitos fundamentais da psicanálise de Lacan, que faz da prática analítica um tratamento Outro. Visto que sua direção é o real, não há a intenção de tamponar a angústia, mas sim tocá-la naquilo que concerne ao objeto a, de maneira a movimentar o desejo articulado ao gozo. Com efeito, uma passagem ao ato pode ser evitada e, no que tange à feminilidade, o processo analítico de uma mulher tem a potencialidade de possibilitar que ela venha a existir não como A, mas como uma mulher
Abstract: Building on the lacanian concept of the real that which is beyond the signifier and the order of the symbolic , this study intends to articulate such a concept to the renowned shakespearian tragedies of Hamlet, Macbethand King Lear. It examines in what measure the study on the suicides, present in these shakespearian works, enables the articulation between the concepts of the real and that of the passage to the act. To Lacan, suicide can be a sort of passage to the act that bears, in its self, a relation to the real. Since these suicides are perpetrated by women, it is most relevant that we focus on the matter of the femininity in psychoanalysis, a subject which, in turn, can provide us with important resources to help us think about the topic. To Lacan there is no complementarity, exactly because women can t be represented in a aggregation; it is this non-existing relation between sexes, one of the fundamental lacanian psychoanalytic principles, that makes this analytic practice a Other treatment. Since it is aiming for the real, not femininity, a woman s analytic process has the potency to enable her to exist not as A but as one woman
Palavras-chave: Lacan
Shakespeare
Real
Suicídio
Passagem ao ato
Lacan
Shakespeare
Real
Suicides
Passage to the act
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA SOCIAL
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Psicologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Serviço Social
Citação: Ferretti, Mariana Galletti. O real do feminino em Hamlet, Macbeth e Rei Lear: considerações sobre o suicídio em Lacan. 2015. 92 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2015.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/17107
Data de defesa: 24-Apr-2015
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Mariana Galletti Ferretti.pdf645,5 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.