Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/1835
Tipo do documento: Dissertação
Título: Finitude, religião e transcendência: uma análise da condição humana em Ernest Becker
Autor: Almeida, Jussara Trindade de 
Primeiro orientador: Ponde, Luiz Felipe
Resumo: A presente dissertação busca realizar uma análise da condição humana em Ernest Becker (1924-1974) e o papel da religião para sustentar o ser humano diante do temor da morte e da precariedade de sua condição de criatura. O objeto central da pesquisa é sua mais importante obra, A Negação da Morte. Inicialmente, são apresentados os principais conceitos de Becker utilizados para descrever a existência humana: a condição de criatura do ser humano, dividido entre sua animalidade e a auto-consciência que o destacou dos outros animas na natureza; o paradoxo existencial; os temores da vida e da morte, que provocam angústia e necessidade de negar a morte; os dúplices motivos ontológicos Eros e Ágape que atraem o ser humano para direções opostas; a necessidade básica de sentir o próprio valor e encontrar sentido para a existência; os mecanismos de defesa utilizados para reprimir da consciência o temor da mortalidade e a realidade da condição de criatura; o desenvolvimento do caráter como mentira vital; a dependência e o fascínio por uma fonte de poder externo, relacionados ao mecanismo de transferência; e a transição edipiana que se desenvolve para o projeto causa sui, a partir da socialização do indivíduo. Em seguida, investiga-se a compreensão de Becker sobre a religião, e as razões para considerá-la como um dos meios mais eficientes para fornecer significado à vida humana, assim como: proporcionar formas de heroísmo ideal que não se encontram nos sistemas de heróís da cultura; e permitir uma transcendência simbólica da condição de criatura. Por último, é apresentado um esboço do indivíduo heróico, as principais razões de Becker para vislumbrar a possibilidade de uma aproximação entre psicologia e religião, e uma reflexão sobre suas expectativas em relação a essa aproximação. Parte-se da hipótese que, sendo a possibilidade de heroísmo oferecida pela religião mais abrangente que a cultural, ao levar em conta a dimensão do invisível, o ser humano pode desenvolver, com o auxílio da religião, uma maior resistência para suportar as contradições de sua condição e um meio mais seguro de encontrar significado para a existência. Conclui-se que o indivíduo heróico de Becker precisa possuir uma coragem que poucos possuem para enfrentar a angústia, apesar do suporte oferecido pela religião e pela psicanálise
Abstract: This dissertation seeks to accomplish an analysis of the human condition in Ernest Becker (1924-1974) and the role of religion to sustain human beings in face of the fear of death and the precariousness of his creatureliness. The central object of research is his most important work, The Denial of Death. Initially, we present the main concepts of Becker used to describe the human existence: the creatureliness of human beings, torn between their animality and the self-consciousness that helped them to emerge from nature in comparison to all of the other animals; the existential paradox; the fear of life and fear of death which cause anxiety and the need to deny death; the twin ontological motives Eros and Agape that attract human beings in opposite directions; the basic need to feel a sense of self-worth and find meaning to human existence; the defense mechanisms used to repress from consciousness the fear of death and the reality of the creatureliness; the development of human character as a vital lie; the human dependence on and fascination with an external source power, related to the transference mechanism; and the oedipal transition that develops into the causa sui project, when the socialization of the individual occurs. Then we investigate Becker s view of religion and the reasons for considering it as one of the most effective ways of providing meaning to human life, as well as ideal forms of heroism that are not found in cultural hero systems and ways of transcending creatureliness symbolically. Finally, we present an outline of the heroic individual, the main reasons for Becker to glimpse the possibility of the fusion of psychology and religion, and a reflection on his expectations for this approach. It starts with the hypothesis that the possibility of heroism offered by religion is broader than the cultural forms, since religion takes into account the dimension of the invisible; also that the individuals can develop, with the support of religion, a greater strength to bear the contradictions of their human condition, together with a safer way to find meaning to their existences. We conclude that the Becker s heroic individual must have the courage that few possess to face anxiety, despite the support offered by religion and psychoanalysis
Palavras-chave: Ernest Becker
Negação da morte
Condição humana
Paradoxo existencial
Finitude
Transcendência
Religião
Ernest Becker
Denial of death
Human condition
Existential paradox
Finitude
Transcendence
Religion
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIA::OUTRAS SOCIOLOGIAS ESPECIFICAS
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Ciências da Religião
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciência da Religião
Citação: Almeida, Jussara Trindade de. Finitude, religião e transcendência: uma análise da condição humana em Ernest Becker. 2011. 227 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Religião) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2011.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/1835
Data de defesa: 23-Nov-2011
Aparece nas coleções:Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciência da Religião

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Jussara Trindade de Almeida.pdf2,93 MBAdobe PDFThumbnail

Baixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.