???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/20391
Tipo do documento: Dissertação
Título: Os sintagmas preposicionados como modificadores nominais
Autor: Koch, Ingedore Grunfeld Villaça 
Primeiro orientador: Cintra, Anna Maria Marques
Resumo: Esta monografia visa a demonstrar que os sintagmas preposicionados que se apresentam como modificadores nominais originam-se de relações casuais existentes na estrutura subjacente de cada língua, tomando-se como base a "Gramatica dos casos", formulada por C.J. Fillmore. Tenta-se demonstrar que a estrutura profunda de qualquer proposição consiste num Predicado - um verbo ou um nome seguido de um ou mais argumentos que representam diversas relações sintático-semânticas, ou seja, relações casuais (“casos”). Os casos se reescrevem na estrutura profunda como sintagmas nominais que, na sua maioria, se superficializam como sintagmas preposicionados. Estes mantem na superfície o conteúdo semântico do caso que lhes dá origem, embora venham a exercer funções sintáticas superficiais diversas, como as de sujeito e de objeto; pode ocorrer, no entanto, sob certas condições, a neutralização de uma determinada relação casual na estrutura de superfície. Procura-se, em seguida, aplicar as conclusões a que se chegou a gramática do português, com o objetivo de simplificar a sua descrição e facilitar o seu aprendizado. A distinção feita pelas gramáticas entre complemento verbal e complemento nominal, entre adjunto adverbial e adjunto adnominal e, até mesmo entre objeto direto e objeto indireto perde muito de sua importância, pois o que se postula são apenas as funções sintáticas superficiais de objeto, SP adjunto e SP complemento, dentro de qualquer proposição, quer tenha como núcleo um nome, quer um verbo (devendo haver, neste caso, um sujeito). O sujeito e o objeto originam-se, respectivamente, pelas transformações de subjetivização e de objetivização. Os SPs complementos constituem argumentos obrigatórios relacionados ao núcleo nominal ou verbal, ao passo que os SPs adjuntos consistem em modificadores facultativos, já que nem todos os argumentos da estrutura profunda de uma proposição· têm de vir a superficializar-se necessariamente. Os SPs, tanto complementos quanto adjuntos, podem ser subclassificados de acordo com a relação casual que representam. O problema da diferenciação entre o complemento nominal e os adjuntos adnominais representados na superfície por sintagmas preposicionados poderá ser solucionado mediante a adoção dessa proposta
Abstract: The dissertation has no abstract
Palavras-chave: Língua portuguesa - Gramática
Gramática de caso
Fillmore, Charles J. - Fillmore's case grammar
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS::LINGUA PORTUGUESA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Língua Portuguesa
Citação: Koch, Ingedore Grunfeld Villaça. Os sintagmas preposicionados como modificadores nominais. 1977. 128 f. Dissertação (Mestrado em Língua Portuguesa) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Língua Portuguesa, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1977.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/20391
Data de defesa: 14-Sep-1977
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Língua Portuguesa

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ingedore Grunfeld Villaca Koch.pdf3,9 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.