???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/4292
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorBorges, Priscila Monteiro-
dc.contributor.advisor1Santaella, Lucia-
dc.date.accessioned2016-04-26T18:10:53Z-
dc.date.available2005-09-06-
dc.date.issued2005-10-05-
dc.identifier.citationBorges, Priscila Monteiro. typography: ocidental ideogram. 2005. 96 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005.por
dc.identifier.urihttps://tede2.pucsp.br/handle/handle/4292-
dc.description.resumoConsiderando por tipografia a construção de fontes e a disposição das letras num suporte, pretende-se mostrar, com essa pesquisa, que línguas escritas alfabéticas têm seu caráter icônico reconfigurado por meio da tipografia digital. Para entender a iconicidade das línguas escritas alfabéticas, são levantados os principais traços de iconicidade do ideograma procurando esclarecer como se dá a criação de significado na língua escrita chinesa. À luz da teoria semiótica de Peirce, são analisadas diferentes fontes tipográficas digitais para mostrar que o ambiente digital proporcionou o crescimento da linguagem visual na língua escrita alfabética, aproximando-as do sistema ideogramático. Com essa comparação, busca-se mostrar como a iconicidade da língua escrita alfabética comporta-se no ambiente digital. Além da teoria semiótica peirceana, são fundamentais os estudos acerca do ideograma, feitos por Haroldo de Campos e utilizados na construção dos poemas concretos. Para explicar o cruzamento entre as linguagens visual e verbal, é utilizado o conceito de hibridismo de Canclini. Um pouco da história da escrita é vista com Roger Chartier, Foucault e Geoffrey Sampson. Pierre Lévy e Manuel Castells são referências para entender o funcionamento da era digital. Questões acerca da motivação ou arbitrariedade das palavras também são abordadas, pois o alfabeto parece ter distanciado ainda mais a palavra da imagem, criando uma linguagem verbal convencional e predominantemente arbitrária. O mundo pós-moderno tem mostrado uma tendência à economia de linguagem, desta forma as mensagens devem ser compreendidas no menor tempo possível, o que pode ter levado à busca da iconicidade na língua escrita, pois essa é a mais simples relação sígnica. Neste ambiente, a tipografia tem seu caráter icônico evidenciado. O texto é visto não só como uma seqüência de letras que geram um sentido, mas como uma imagem, que à sua maneira também transmite informação. Entender o processo de iconicidade da língua escrita alfabética mostra um dos caminhos para onde segue a comunicação atual. Podemos perceber que a maleabilidade da linguagem digital deu novas perspectivas à tipografia. As fontes digitais trabalham o caráter icônico da escrita em diferentes graus, chegando à criação de fontes que descartam o uso do alfabeto em favor do uso de imagens, que geram um texto escrito com uma linguagem própria. A digitalização da tipografia possibilitou novos hibridismos de linguagem. Letra e imagem parecem relacionar-se de novas maneiras na língua escrita.por
dc.description.abstractTaking typography as the construction of fonts and the arrangement of letters on any support, this work pretends to show that digital typography has changed the iconic characteristic of written alphabetic languages. The principal iconic trace of ideograms and the way Chinese written signify are shown in order to explain the iconic aspects of written alphabetic languages. Different digital typography are examined through the semiotic theory of Peirce to show that digital age has expanded the visual language of written alphabetic languages making it get similar to ideogramatic system. This comparison may show how the iconicicity of written alphabetic language works in the digital age. Besides Peirce´s semiotic, the studies done by Haroldo de Campos about ideograms, which he used in his concrete poems, are fundamental for this work. The concept of hybridism made by Canclini is used to show how the visual and the verbal languages are intersected. A little bit of written history is shown with Roger Chartier, Foucault and Geoffrey Sampson. Pierre Lévy and Manual Castells are references to explain how digital age works. Questions about the motivation and the arbitrariness of the words are also discussed, because the written alphabet seems to have increased the distance between word and image, creating a conventional and mostly arbitrary verbal language. The pos-modern world tends subtract language, messages have to be understood in a short time and probably this has increased the iconicity of written language because the icon is the most simple sign. In this situation, typography has grown its iconic side. The text is not considered any more as a sequence of letters that have meaning, but also, as a picture that have important imagetic information. Understanding the process of iconicity in written language may show where present communication is going. We could conclude that the flexibility of digital language creates a new perspective for typography. Digital fonts emphasizes the iconicity of written language in many degrees. There are even fonts that don`t use the current alphabet in favor of pictures, creating a very specific text. The digital typography has provided new forms of language hybridism. Letter and image seems to have a new relation in the written language.eng
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2016-04-26T18:10:53Z (GMT). No. of bitstreams: 1 PriscilaBorges.pdf: 4181803 bytes, checksum: 7650ed34e8951021bd4391cdf1691911 (MD5) Previous issue date: 2005-10-05eng
dc.description.sponsorshipFundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo-
dc.formatapplication/pdfpor
dc.thumbnail.urlhttp://tede2.pucsp.br/tede/retrieve/13080/PriscilaBorges.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherPontifícia Universidade Católica de São Paulopor
dc.publisher.departmentComunicaçãopor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsPUC-SPpor
dc.publisher.programPrograma de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semióticapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjecttipografiapor
dc.subjectEscritapor
dc.subjectdesignpor
dc.subjectideogramapor
dc.subjectsemióticapor
dc.subjectPeircepor
dc.subjecttypographyeng
dc.subjectwritingeng
dc.subjectdesigneng
dc.subjectideogrameng
dc.subjectsemioticeng
dc.subjectPeirceeng
dc.subjectImpressãopor
dc.subjectPictografiapor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAOpor
dc.titleTipografia: Ideograma Ocidentalpor
dc.title.alternativetypography: ocidental ideogrameng
dc.typeDissertaçãopor
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PriscilaBorges.pdf4,08 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.