REPOSITORIO PUCSP Teses e Dissertações dos Programas de Pós-Graduação da PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/4412
Tipo: Tese
Título: Representações da infância no cinema: ficção e realidade
Autor(es): Lopes, Francisca Rodrigues
Primeiro Orientador: Motta, Leda Tenorio da
Resumo: Esta pesquisa examina as representações que o cinema tem feito da infância, a partir da análise de um corpus constituído de filmes que têm a criança como protagonista. Partindo da instigação de Aumont e Marie quando afirmam que a câmera cinematográfica é um olho cheio de intenções , enfrentamos o desafio de explicitar como o cinema tem olhado a criança, observando em que cenas da vida infantil ele tem capturado suas imagens e em que cenários as tem representado. Trabalhando com a hipótese de que o olhar do cinema para a infância está ancorado em concepções culturais, com tudo o que isso envolve, foi realizada uma pesquisa bibliográfica em duas frentes: uma relativa ao cinema, que selecionou autores como Machado, Knigth, Metz, Costa e outros, e a outra referente à infância, que contemplou autores como Ariès, Heywood e Rousseau, dentre outros. O corpus foi constituído por cinco filmes, aqui considerados exemplares: Cinema Paradiso (Nuovo Cinema Paradiso, Giuseppe Tornatore, Itália, 1988), As cinzas de Ângela (Angela s Ashes, EUA, 1999), Brinquedo proibido (Jeux Interdits, René Clément, França, 1952), A vida é bela (La vita bella, Roberto Benigni, Itália, 1997) e O Balão branco (Badkonake sefid, Jafar Panahi, Irã, 1995). Os referenciais teóricos e metodológicos mobilizados na análise do corpus buscaram apoio em autores da área de cinema, como os já mencionados acima, mas também na psicanálise freudiana, nas teorias sobre a história da criança no Ocidente, entre as quais a de Ariès, bem como nas filosofias clássicas da educação, aí incluídas a rousseauísta, na filosofia benjaminiana do brincar, e em obras de relevância em torno da linguagem cinematográfica. Os resultados apontam para a necessária reflexão acerca não apenas da linguagem do cinema e de suas relações com o mundo infantil, mas para a compreensão de que as representações da infância feitas pelo cinema são representações culturais, e oferecem outras possibilidades pedagógicas para além daquelas convencionalmente estabelecidas pela educação formal
Abstract: This research examines the representations that the film has made childhood, from the analysis of a corpus of films that have children as protagonist. Based on the instigation of Aumont and Marie when they say that the film camera is an "eye full of intentions," we face the challenge of explaining how the film has "looked" the child, watching in which scenes of child s life he has captured their images and in which scenarios it is shown. Working with the hypothesis that the "look" of the cinema for children is anchored in cultural conceptions, with all that this involves, a literature search was conducted on two fronts: one on the film, which selected authors like Machado, Knigth, Metz, Costa and others, and the other relating to childhood, which included authors such as Aries, Heywood and Rousseau, among others. The corpus consisted of five films, here regarded as exemplary: Cinema Paradiso (Nuovo Cinema Paradiso, Giuseppe Tornatore, Italy, 1988), Ashes Angela's (Angela's Ashes, USA, 1999), Toy prohibited (Jeux Interdits, René Clément, France, 1952), Life is Beautiful (La vita bella, Roberto Benigni, Italy, 1997) and The White Balloon (Badkonake sefid, Jafar Panahi, Iran, 1995). The theoretical and methodological references mobilized in the analysis of the corpus sought support in authors of the cinema as area, as mentioned above, but also in Freudian psychoanalysis, the theories about the history of the child in the West, including that of Aries, as well as the classical philosophies of education, then the Rousseau s included, Benjamin's philosophy of playing, and in works of relevance around the cinematic language. The results points to the necessary reflection on not only the language of cinema and its relationship with the child's world, but to understand that the representations made by the cinema of childhood are cultural representations, and provide other educational opportunities beyond those conventionally introduced by formal education
Palavras-chave: Cinema
Infância
Representação
Cinema
Childhood
Representation
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO
Idioma: por
País: BR
Editor: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da Instituição: PUC-SP
metadata.dc.publisher.department: Comunicação
metadata.dc.publisher.program: Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica
Citação: Lopes, Francisca Rodrigues. Representações da infância no cinema: ficção e realidade. 2012. 212 f. Tese (Doutorado em Comunicação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/4412
Data do documento: 15-Jun-2012
Aparece nas coleções:Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Francisca Rodrigues Lopes.pdf996 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.