???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/4454
Tipo do documento: Dissertação
Título: Devir-deserto no São Jerônimo de Júlio Bressane: poética tradutória e cartografias da cultura
Autor: Sousa, Adriano Carvalho Araújo e
Primeiro orientador: Ferreira, Jerusa Pires
Resumo: Visamos mapear um conjunto de relações culturais e literárias que Júlio Bressane extrai ao sobrepor deserto (medieval) e sertão nordestino, no filme São Jerônimo. A imagem atua para recriar o signo dessa grande figura de intelectual e tradutor, realizando uma combinatória entre elementos de sistemas de signos e textos culturais diferentes. O cineasta discute tradução intersemiótica (transcriação), num sentido poético que se aproxima das proposições do poeta Haroldo de Campos (1992). Jerônimo exerceu a tarefa tradutória privilegiando a coerência com o original aliada à presença de neologismos e (re)criação no idioma de chegada. Ao sobrepor deserto e sertão nordestino, Bressane faz uma reflexão sobre a presença da literatura, do texto e da palavra no cinema. Nossa intenção é realizar uma leitura dessas séries de signos com destaque para: São Jerônimo com forte referência a Euclides da Cunha; deserto medieval e sertão nordestino. Levando em conta toda uma iconografia sobre o santo, o filme valoriza a performance, a voz e a imagem permitindo-nos utilizar o discurso de Júlio Bressane como procedimento teórico que sugere alguns esclarecimentos sobre a poética tradutória. Há a idéia de uma cartografia da cultura presente no filme, nas errâncias do santo, nas citações em colapso do tempo. Seguindo uma tendência da crítica cinematográfica que envolve o pouco material presente em dissertações, teses e livros sobre Bressane, propomos um ensaio sabendo da impossibilidade de iluminar essa discussão como um objeto tradicional. São Jerônimo é, ele próprio, um ensaio realizado por um cineasta que pensa o suporte a partir de uma lógica fronteiriça com outras áreas do conhecimento. É metalinguístico, não atende a explicações convencionais (como demonstram estudos anteriores a este) porque discute o seu próprio fazer, a cada filme. A transcriação é ato (re)criador, não interpretativo. Aliada à metacrítica cinematográfica coloca movimento na imagem.
Palavras-chave: Cinema brasileiro
Bressane, Julio [1946- ] - São Jerônimo - Crítica e interpretação
Tradução intersemiótica
Deserto
Sertão
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Comunicação
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica
Citação: Sousa, Adriano Carvalho Araújo e. Devir-deserto no São Jerônimo de Júlio Bressane: poética tradutória e cartografias da cultura. 2005. 118 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/4454
Data de defesa: 19-Oct-2005
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AdrianoSousa.pdf668,09 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.