???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/4612
Tipo do documento: Dissertação
Título: Roland Barthes e a Câmara Clara: um novo estatuto para as imagens
Autor: Contessa, Valéria Berti 
Primeiro orientador: Motta, Leda Tenorio da
Resumo: Este trabalho objetiva discorrer sobre a dicotomia punctum e studium, tal como formulada por Roland Barthes em sua derradeira obra A Câmara Clara. Trata-se mais especificamente de assinalar sua proposta inovadora no sentido de que certas imagens - as que considera pungentes - podem significar independentemente de qualquer referência ao discurso verbal que tudo reinterpreta. A base teórica em que iremos nos amparar é composta de pensadores cujos trabalhos nos permitem estabelecer um estado da arte da fotografia. Citem-se, entre eles, Susan Sontag, Walter Benjamin, Henri Van Lier, Joan Fontcuberta, entre outros que dialogam diretamente com os conceitos de A Câmara Clara. O corpus da pesquisa é constituído por vinte e cinco fotografias do livro A Câmara Clara, que ao serem descoladas do texto principal, constroem um discurso independente, já que de uma parte, se articulam entre elas, e por outra, estabelecem relações com imagens que não estão presentes fisicamente no livro, e sim de maneira virtual. A fotografia, considerada durante muito tempo mera coadjuvante do texto verbal, quando tomada de maneira independente adquire uma potência inesperada e revela-se terrível
Abstract: This research intends to discuss the dichotomy punctum and stadium such as established by Roland Barthes in his last work Camera Lucida. What is in question, more specifically, is to address his innovating proposal in the sense that certain images - the ones he considers as the most pungent - may have a signification of their own, independently of any reference to the verbal discourse with its all-inclusive interpretations. The theoretical base adopted is the work of a number of intellectuals that allows establishing a state-of-the-art in photography. Among them are mentioned Susan Sontag, Walter Benjamin, Henri Van Lier, Joan Fontcuberta, as those dealing directly with the concepts of Camera Lucida. The corpus of the research is formed by twenty-five photographs from the book Camera Lucida; upon being detached from the main text, such photographs constitute an independent discourse as on one hand they articulate with one another and on the other, they establish relations with images that are not in the book but rather have a virtual existence. The photograph, which was considered for longtime as a mere coadjutor of the verbal text, acquires an unexpected power when taken independently, a power that shows to be terrible
Palavras-chave: A Câmara Clara
Fotografia
Roland Barthes
Punctum
Studium
Camera Lucida
Photography
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Comunicação
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica
Citação: Contessa, Valéria Berti. Roland Barthes e a Câmara Clara: um novo estatuto para as imagens. 2014. 121 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2014.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/4612
Data de defesa: 11-Apr-2014
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Valeria Berti Contessa.pdf11,46 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.